CRISE ECONÔMICA: MITOS E VERDADES QUE OS EMPRESÁRIOS DEVEM SABER

Frente a inúmeras análises com diferentes posicionamentos, o empresário deve estar atento

O cenário de crise assombra qualquer empresário, em especial pequenos e médios ainda na fase inicial do negócio – os cinco primeiros anos – que lutam para conquistar estabilidade no mercado e equilíbrio econômico. Porém, a polêmica em torno do assunto e a quantidade de especulação acabam gerando um sentimento de pânico que em alguns casos pode ser precipitado. “Os empresários sentem a aflição do mercado e acabam esquecendo de se perguntar: a minha empresa está em crise? Essa análise interna deve guiar novas estratégias alinhadas com o cenário do mercado. Deste modo, um ano que tinha previsão de ser negativo se torna positivo”, explica Laecio Barreiros, CEO da L&Barreiros Controladoria, consultoria em gestão financeira e empresarial especializada em PMEs.

Frente a inúmeras análises com diferentes posicionamentos, o empresário deve estar atento ao que é mito ou verdade sobre a crise. Barreiros enumera abaixo as dúvidas mais comuns.

Crise econômica é a mesma coisa que crise financeira

MITO. A crise econômica acontece quando o país não tem mais dinheiro para investir, acumula dívidas e não apresenta perspectivas de crescimento para o ano – índice que é medido com base no PIB (Produto Interno Bruto). O impacto deste cenário pode ou não afetar diretamente o brasileiro. Já a crise financeira pode acontecer com qualquer um em qualquer momento; não depende do governo. Basta as despesas aumentarem mais do que o ganho para estar oficialmente com problemas financeiros – com ou sem crise econômica. O Brasil vai falir MITO. O Brasil já foi até comparado com a Grécia, mas na realidade a economia não é uma ciência exata e vive de oscilações, pois depende de diversas variáveis internas e externas – além das fronteiras. O Brasil teve um grande crescimento econômico nos últimos 12 anos. Nosso PIB chegou a passar os 7% mesmo com o mundo em crise, mas o rendimento foi caindo e não houve o desenvolvimento projetado com os pacotes de aceleramento – este cenário desencadeou o período de crise.

Devo me preocupar com a minha empresa e não com o mercado

VERDADE. O universo da empresa deve sempre ser a prioridade do empreendedor; o mercado vem em segundo plano. Mesmo sem crise econômica, o empresário precisa ficar atento ao próprio ecossistema do seu negócio, prevenir crises e alinhar estratégias. Os direcionamentos devem ser condizentes com o comportamento do mercado – especialmente em tempos de instabilidade econômica – mas este não deve ser o norte.

Existem empresas que faturam com tempos de recessão e crise econômica

VERDADE. Não são apenas determinados setores que se privilegiam da crise econômica. Existem empresas, principalmente de médio e grande porte, que criam estratégias para não apenas manter a performance diante da crise, mas também conseguem alavancar as vendas. Entre empresas do setor automobilístico, por exemplo, que sofre quedas constantes, há aquelas que se adaptaram a demanda do mercado, investiram em inovação e comemoram índices crescentes de vendas.